A Real Sobre o Carnaval

Este é um texto de autoria do Búfalo que o Rikimaru recuperou para publicar no Metendo a Real que dá uma visão fria e realista fala sobre o Carnaval.

Não sabemos a data em que o artigo foi escrito originalmente, porém pode-se notar que o conteúdo continua mais atual do que nunca. Vamos adaptar e arquivar ele aqui também, amenizando o palavreado e para facilitar o acesso.

A opinião deste site é que o homem deve evitar tais eventos assim como mulheres que participam deles, independente do que elas pensarem deles.


A Real sobre o Carnaval

Neste momento que eu escrevo, milhões de mulheres no Brasil estão colocando shortinhos super curtos, saltos, tênis, seus melhores tops e “abadás” e irão viajar em massa pelo país ou ficarão em suas cidades para protagonizarem o maior espetáculo de hipocrisia do mundo e do sexo feminino.

Durante o ano ela é toda arrogante, estúpida, folgada, defensora das mulheres, ninguém pode nem OLHAR pra ela na rua que fica com nojinho e dá piti. Mesmo em baladas ela se mostra escrota e defensiva. Mas por alguns dias no ano, de repente, principalmente pras que viajam, por acaso essa mocinha de“família” irá se comportar como sua boca fosse uma lata de lixo e seu corpo da galera, principalmente dos homens que passam o ano inteiro pagando suas viagens carnavalescas e o ano inteiro na academia religiosamente (e na maioria das vezes o tempo gasto em academia é maior que estudando ou lendo livros).

Essa cretina irá beijar um número ridículo de homens, em que envergonhará a mais ferrenha feminazi da net. Irá mesmo ter relações sexuais com desconhecidos, irá vomitar, ficar bêbada e cheirada de lança.

Mesmo as que vão pra curtir moderadamente irão ficar com um número alto de homens e se masturbar com homens que viu sem camisa na rua aos montes enquanto o homem de bem ela irá logo na volta pra casa, voltar a esnobar e exigir milhares de coisas para ele poder tocá-la, enquanto vários desconhecidos enfiaram a língua e outras coisas em sua garganta.

Essa mesma mulher que faz esses absurdos e depois irá alardear que é “não é dessas” e quer um homem pra namorar nos 359 dias restantes do ano. Essa mesma mulher irá ser a mãe dos teus filhos. Irá dar a luz e educar a próxima de geração.

Mulher essa que pra casar exige bom emprego de ti, sensibilidade, ser bom, companheiro, ter carro, ter ensino superior, “ser batalhador e não um zé ninguém”. Irá te negar sexo várias vezes no ano, irá brigar contigo, te maltratar, te exigir, te infernizar e mesmo ser infiel a ti.

Essa mesma mulher que faz isso contigo foi a que permitiu 5, 10, 15, 40, 80, 120, 200 homens beijarem a boca dela e alguns a comerem de 4 no carnaval no fim da folia.

Desconhecidos que ela nunca mais verá na vida e que ela não disse um “oi”.

Vagabundas que acham que podem me enfrentar numa discussão lógica frente a frente irão dizer:

“Os homens vão também pro carnaval ficam com todas e querem uma certinha pra ficar”.

O paspalhão que no carnaval se abstêm da festa, viaja pras montanhas ou é um homem que não faz isso, é considerado muito chato e desinteressante pra mesma cretina que faz essa pergunta. O moleirão que vai pra carnavais e pega geral, nada mais faz o que as mulheres gostam e premiam, que é pegar geral e ser experiente.

Por alguns dias do ano, as mulheres se tornam as verdadeiras modernetes pra desconhecidos. E no resto, serão mocinhas de família ofendidinhas com prostituição, pornô, cantadas, olhares e avanços de homens de bem.

Os dias mais hipócritas do sexo feminino no ano.

Agora vai lá socar um short indecente e ter o ego inflado.

“Bufalo”

Deixe um comentário

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!