Comunidade LGBT explode com apoio a Donald Trump nas mídias sociais

Esta é uma tradução do artigo LGBT community explodes with positive social media support for Donald Trump feita por Laan Carvalho e gentilmente nos enviada via inbox da nossa fanpage do Facebook.

Ele fala sobre uma reação, razoavelmente inesperada, de parte da comunidade LGBT americana nas redes sociais diante do tiroteio em uma boite gay protagonizado por um maometano, Omar Mir Saddique Mateen, que ocorreu no dia 12 de junho de 2016.


A comunidade LGBT explode com apoio a Donald Trump nas mídias sociais

Quando o candidato à presidência pelo Partido Republicano, Donald Trump, enviou uma mensagem aos americanos gays pela sua página do Facebook às 14h15 da terça-feira, as respostas foram esmagadoras e imediatas. Dentro de 38 minutos, ele recebeu mais de 40.000 ‘curtidas’, quase 4.000 compartilhamentos e centenas de comentários.

“Obrigado, comunidade LGBT! Eu lutarei por vocês enquanto Hillary acolhe mais pessoas que ameaçarão suas liberdades e crenças”, Trump postou.

Stands with Trump

Foto por Gerardo Mora/Getty Images

A primeira pessoa a responder foi Stephanie Marie: “como uma transgênero membro do LGBT, estou orgulhosa te ter você como nosso próximo presidente dos Estados Unidos!!!! Os LGBT o amarão, Sr. Trump, assim como eu o amo!”

Marie recebeu 2,124 curtidas e 211 respostas dentro desses 38 minutos, com grande parte apoiando seu comentário e apoiando Trump. Lindsay Erin, de Nova York, respondeu que “como uma lésbica, tenho apoiado Trump o tempo todo. Da forma que vejo, você não precisa concordar com quem eu escolho amar. Vamos todos aprender a parar de julgar!”

Trish Rodriguez, do Texas, disse a Trump: “Aqui está uma lésbica que votou por você nas primárias do Texas e o fará de novo em novembro. Como disse antes, sou gay, não idiota.” Rodriguez recebeu 1.610 curtidas no mesmo período de tempo.

Trump usou habilidosamente as mídias sociais para conseguir apoio vindo de muitas emoções. Quando ele recebeu milhares de tweets positivos em relação à sua frase postada no Twitter, onde falava sobre o tiroteio trágico em Orlando, no domingo, sua resposta foi que, ainda que apreciasse “as congratulações por estar certo sobre o terrorismo islâmico radical, eu não quero ser parabenizado. Quero fortaleza e vigilância. Devemos ser espertos!”

Na segunda-feira, ele recebeu mais de 277.000 curtidas na sua mensagem no Facebook, que dizia que “A Hillary, desonesta, diz que devemos nos reconciliar com a Arábia Saudita e outros países para parar de difundir ódio. E eu digo a ela para devolver imediatamente os 25 milhões de dólares que ela pegou a mais para a Clinton Foundation!”

Noah Koch, de Petaluma – Califórnia, escreveu: “Trump apoia a comunidade LGBT! Hillary está simplesmente tentando atuar para conseguir seu apoio [LGBT] e receber mais votos. Hillary não se importa com eles; Trump se importa!”

“Trump é a melhor aposta para TODOS OS AMERICANOS”, disse Antonio Carranza, de Kissimmee – Flórida. “Latinos [hispânicos], brancos, negros, gays ou héteros! Trump se importa com o seu país e seu POVO. América em primeiro lugar.”

“Eu sou gay e sou apoiador de Trump desde que ele anunciou que seria candidato”, escreveu Tyler Bates, de Hermosa Beach – Califórnia. “E isso não mudou. Aqueles que odeiam Trump e continuam a atacá-lo são pessoas que não têm prestado nenhuma atenção no que ele vem falando. Eles são também anti-Americanos e estão sob a ilusão de que tudo está bem.”

Trump recebeu críticas e aplausos pela sua reação ao ataque terrorista essa semana, em Orlando – Flórida, em uma boate gay. No seu primeiro discurso e pronunciamento, ele começou dizendo que “nossa noção foi atacada por um terrorista islâmico radical. Foi o pior ataque terrorista no nosso solo desde o de 11/09, e o segundo do tipo em seis meses. Às vítimas, aos feridos, e às suas famílias, minha sincera compaixão.”

“Em seus comentários hoje, o Presidente Obama vergonhosamente se recusou até mesmo a dizer as palavras ‘Islamismo Radical’. Por essa única razão, ele deveria cair. Se a Hillary Clinton, depois desse ataque, ainda não puder dizer as palavras “Radical Islam”, ela deveria sair da corrida pela presidência. Se não endurecermos e ficarmos espertos rápido, não teremos mais um país. Pois nossos líderes são fracos, eu disse que isso aconteceria – e daqui, só vai piorar. Eu estou tentando salvar vidas e prevenir o próximo ataque terrorista. Não podemos mais bancar os politicamente corretos.”

“O terrorista, Omar Mir Saddique Mateen, é filho de um imigrante do Afeganistão que manifestou publicamente seu apoio ao Talibã Afegão e até mesmo tentou se eleger à Presidência do Afeganistão. De acordo com Pew, 99% das pessoas do Afeganistão apoiam a Sharia. Nós aceitamos mais de 100.000 migrantes vitalícios do Oriente Médio por ano. Desde 11/09, centenas de migrantes e seus filhos se envolveram com terrorismo nos Estados Unidos. Hillary Clinton quer aumentar dramaticamente as admissões do Oriente Médio, trazendo centenas de milhares de lá em primeira mão – e não daremos conta de protegê-los, bancá-los, ou impedir que a segunda geração deles se radicalize.”

“Nós devemos proteger todos os Americanos, de todos os tipos e crenças, do terrorismo islâmico radical – o qual não tem espaço numa sociedade aberta e tolerante. O Islamismo Radical prega ódio às mulheres, gays, judeus, cristãos, e todos os Americanos. Eu serei um presidente para todos os Americanos, e protegerei e defender todos eles. Nós vamos fazer a América grande e segura novamente, para todos.”

Artigo traduzido por: Laan Carvalho

Deixe um comentário

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!