Por que o Comunismo não é odiado como o Nazismo?

Carregando...
GD Star Rating
loading...

Por que o Comunismo não é odiado como o Nazismo?

Este é um vídeo da Prager University que disserta sobre o porquê do Comunismo não ser odiado como o Nazismo. Quando as pessoas pensam nos maiores males da humanidade, porque o Comunismo raramente é mencionado, mesmo este tendo causado muito mais sofrimento do que qualquer outra ideologia da história?

Certamente, o Nazismo, outra ideologia de cunho socialista, também promoveu muitos horrores e desgraças, entretanto, não é professada, atualmente, por mais de meia dúzia de pessoas socialmente inadequadas. Já o legado macabro do Comunismo, além de ser bem maior, perdura até os dias de hoje, sendo defendido ou pregado por grande parte da intelectualidade e da mídia.

Neste curto vídeo, Dennis Prager explica o fenômeno e faz um apelo, para que se conheça a história daqueles que viveram e vivem sob a opressão do comunismo, de forma a honrar sua memória.

O vídeo foi traduzido para o português e legendado pelos Tradutores de Direita, sendo disponibilizado no dia 2 de maio de 2017.

Versão em texto

Quando pessoas descrevem indivíduos ou regimes maus, por que eles usam os termos ”Nazista” ou ”fascista”, mas quase nunca ”comunista”? Dado o incomparável sofrimento humano que comunistas causaram, por que ”comunista” é um termo bem menos repulsivo que ”nazista”?

Comunistas mataram 70 milhões de pessoas na China, mais de 20 milhões na União Soviética (sem contar cerca de 5 milhões de ucranianos), e quase 1 a cada 3 cambojanos. Comunistas escravizaram nações inteiras na Rússia, Vietnã, China, Leste Europeu, Coreia do Norte, Cuba e parte da Ásia Central. Eles arruinaram as vidas de mais de um bilhão de pessoas. Então, por que o Comunismo não tem uma reputação terrível como o Nazismo?

Razão número 1: Simplesmente existe ignorância generalizada sobre o Comunismo.

Considerando que tanto a direita e esquerda detestam o Nazismo e ensinam sua história maligna, a esquerda (não liberais tradicionais como Harry Truman ou John F. Kennedy) nunca repudiou o Marxismo. E, já que a esquerda domina o mundo acadêmico, quase ninguém ensina a história macabra e genocida do Comunismo.

Razão Número 2: Os nazistas realizaram o Holocausto.

Nada define melhor mal puro do que o Holocausto. A prisão e o extermínio de praticamente todo homem, mulher, criança e bebê judeus no continente europeu seria sem precedentes e incomparável. Os comunistas mataram muito mais pessoas do que os nazistas, mas nunca teriam equiparado ao Holocausto na sistematização de genocídio. A singularidade do Holocausto e a enorme atenção corretamente dada a ele tem ajudado a garantir que o Nazismo tenha um nome pior do que o Comunismo.

Razão número 3: O comunismo é baseado em teorias que aparentam ser boas, o Nazismo não. É baseado em teorias que soam hediondas.

Intelectuais em geral – incluindo, é claro, os historiadores – são seduzidos por palavras – tanto é que eles consideram ações como menos significativas do que palavras. Por essa razão, eles não têm concentrado tanta atenção sobre as ações horríveis dos comunistas como sobre as terríveis ações dos nazistas. Eles descrevem os males dos comunistas como perversões do “verdadeiro comunismo” enquanto consideram as atrocidades nazistas (corretamente) como os resultados lógicos e inevitáveis ​​do nazismo.

Razão número 4: Os alemães expuseram completamente os males do nazismo, assumiram a responsabilidade e tentaram repará-los.

Os russos não fizeram nada semelhante em relação aos horrores de Lênin ou Stalin. Ao contrário, Lênin, pai do comunismo soviético, ainda é amplamente venerado na Rússia. E Stalin, como o historiador russo Donald Rayfield (Universidade de Londres) diz: “As pessoas ainda negam, por afirmação ou implicação, o holocausto de Stalin.”

A China, muito menos, expôs o maior de todos os tiranos e assassinos em massa, Mao Tsé Tung. Mao continua a ser reverenciado na China até nos dias de hoje, com toda cédula da moeda chinesa estampando sua foto. Até que países como a Rússia, China, Vietnã, Cuba e Coreia do Norte reconheçam os males que os seus regimes comunistas causarem, estes permanecerão menos conhecidos do que os males do estado alemão de Hitler.

Razão Número 5: Comunistas assassinaram, em sua maioria, seu próprio povo. Os nazistas, por outro lado, mataram poucos alemães.

“A opinião mundial” – aquele termo insignificante e imoral – considera o assassinato de membros do próprio grupo muito menos importante do que o assassinato de pessoas de fora. É por isso que, por exemplo, não existe muita “opinião mundial” a respeito de negros matando milhões de compatriotas negros na África.

Razão número 6: Na visão da esquerda, a última “boa guerra” foi a Segunda Guerra Mundial, a guerra contra o nazismo alemão e o fascismo japonês.

A esquerda não considera guerras contra regimes comunistas como “boas guerras”. Por exemplo, a guerra americana contra o comunismo vietnamita é considerada imoral e a guerra contra o comunismo coreano, e seus apoiadores comunistas chineses, é simplesmente ignorada. Até que a esquerda, e todas as instituições influenciadas (ou dominadas) por ela, reconheçam quão mau o comunismo tem sido, vamos continuar a viver em um mundo moralmente confuso. Enquanto isso, todas as pessoas de bem tem o dever de aprender o que aconteceu com as vítimas do comunismo. Devemos isto a elas. Ainda pior do que ser assassinado ou escravizado é um mundo que ignora isto.

Saiba Mais

Deixe um comentário

Adicionado Em: 3 de maio de 2017

Visualizações: 37

Duração: 05:18

Categorias: Curtos

Tags: , , ,

Canal: Prager University

GD Star Rating
loading...

Este Link: