Tragédias, o combustível preferido dos neo-ateus

Este é um artigo que, diante da tragédia do Chapecoense, a qual causou a morte de dezenas de jogadores deste time de futebol, mostra que eventos como estes são combustível preferido dos neo-ateus.

O texto é de autoria de autoria de Luciano Takaki onde ele, além de argumentar, mostra algumas prints mostrando a maluquice desses indivíduos que se dizem os detentores da razão ou da ciência, implicando que eles saibam o sentido destas palavras…


Estou fora do Facebook, mas isso não significa que não esteja informado das bizarrices que pairam por lá de uma maneira ou de outra. Ora, às vezes é bom ficar por dentro das coisas para se combater o mal. Ultimamente me dedico a combater dois: o ateísmo e o estatismo. Eu já fui ateu e estatista, e sei bem como é esse submundo intelectual. E como hoje a ATEA foi longe demais, dedicarei um artigo inteiro a ela mostrando a total falta de caráter dessa gente.

A ATEA, a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos, é uma amostra de como o neoateísmo é um movimento paupérrimo intelectualmente. Eles não se preocupam com o ser humano, ainda que eles se digam “humanistas”. Lembrando que o seu presidente, Daniel Sottomaior – cujo o seu conhecimento acerca da doutrina cristã é tão bom quanto o meu com relação ao polonês – é daquele tipo de ateuzinho que diz combater o preconceito, é vegano porque acha uma crueldade matar animaizinhos para comer e, claro, diz defender o livre pensamento, mas deu piti quando o Datena deu a opinião dele. Mas como todo neoateu, obviamente é apenas um hipócrita da pior estirpe.

Ora, hoje aconteceu um desastre: qual é a reação do cristão? Se solidarizar com as vítimas e rezar pelos mortos. A reação deles? Usar a tragédia para zombar os cristãos. Eles usam a desculpa de que atacam as ideias, não pessoas, mas a preocupação deles é apenas em denegrir os cristãos e mostrar a incoerência deles. Um exemplo é essa postagem:

avião caindo

Na verdade, se eu estivesse num avião caindo, a última coisa que pensaria seria fazer ele voltar a voar na base de orações. Eu confessaria todos os meus pecados e pediria perdão a Deus. É óbvio que se o avião voltasse, eu seria muito grato, mas se não, estaria ciente de que a minha hora chegou. Aliás, eles realmente acreditam que a maioria pensaria em fazer o avião voltar?

neo-ateu

Aqui resolvi colocar a postagem e o primeiro comentário que apareceu. Vamos responder à imagem: Deus mata quem? Se A é pai de B e B mata C, podemos dizer que A matou C? Se A constrói uma casa e ela desaba matando B, A matou B? Deus não matou ninguém em nenhum desastre. A parte d’Ele já foi feita. Aliás, mesmo que Deus mate as pessoas, é bom lembrar: se Deus Todo-poderoso Criador do céu e da terra matasse parte de sua criação, valeria a lógica: se Deus deu a vida, Ele também pode tirá-la. Enquanto isso, que tal refutar os argumentos a favor da existência d’Ele?

Sobre esse comentário, deixei para mostrar uma ateísta pedindo para eles não perderem a sua fé na inexistência de Deus. Oremos por essas almas.

neo-ateu

Com essa imagem respondo o que faltou responder na postagem anterior. Novamente a pergunta: Deus matou quem? Acho interessante ateus culpando um ser que eles julgam não existir por um desastre e ao mesmo tempo julgar que nada foi criado por Ele. Qual é a lógica dessa postagem? Absolutamente nenhuma. Mas vamos ao que interessa: houve um terremoto que derruba um prédio com os seus moradores e sobrevive apenas uma criança no meio de centenas de outros mortos. Devemos agradecer a Deus por esse milagre? É óbvio que sim! Mas o neoateu vai resmungar “Mas e se morresse só a criança e os outros moradores sobrevivessem não seria melhor?”. Bem, se responder “sim” ou “não” , a resposta seria controversa.

Mas vamos ao fato: devemos agradecer a Deus e ponto final. Esse questionamento me faz lembrar sobre quando Jesus encontrou um cego de nascença e um de seus discípulos perguntou: “Mestre, quem pecou, este homem ou seus pais, para que nascesse cego?”. Jesus respondeu: “Nem este pecou e nem seus pais, mas é necessário que nele se manifestem as obras de Deus. Enquanto for dia, cumpre-me terminar as obras daquele que me enviou. Virá a noite, na qual já ninguém pode trabalhar. Por isso, enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo” (João 9,2-5). Lindas palavras, não? Ao invés de ficarem indagando coisas inúteis e fazerem postagem de caráter duvidoso usando a liberdade de expressão como justificativa (coisa da qual são veemente contra, já que processaram o Datena), que tal apenas se solidarizar com os parentes da vítima?

neo-ateu

Oh, meu Deus! Qual é problema de comemorar a sobrevivência de um ente querido? Sério mesmo que a felicidade de alguém e gratidão doem em vocês? Se Deus quis salvar alguém no meio de 81 pessoas, qual é o problema? Ele decidiu que não é a hora dela. Simples.

imaginação do mongolão

Eu, como cristão e ex-ateu, diria que, caso tivessem o conhecimento do desastre, não seria muito diferente do que aconteceu com o avião da Chapecoense. Claro que haveriam religiosos retardados zombando, mas infelizmente não é todo cristão que segue o que Jesus pregou no Sermão da Montanha. Vejamos outra:

textão do feioso

Decerto, a ATEA sempre foi uma porcaria de página que envergonha até boa parte dos ateus. E, decerto, não zombou de religiosos quando posta sobre rezar durante a queda de um avião ou se dói com a felicidade alheia. E sim, a ATEA sempre usou tragédias para promover a sua página da maneira mais porca possível. Pessoas morrem todo dia? Sim, mas só por isso podemos nos promover em cima delas para zombar das religiões? É, isso é realmente um sintoma de quando não acredita em Deus: a vida humana perde valor e por isso as tragédias se tornam úteis.

E, só para concluir, a ATEA é um bom motivo sim para fechar o Facebook.

Fonte

Deixe um comentário

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!