Coronel Mello Araújo, da Ceagesp, fala sobre momento desesperador com novo lockdown em Araraquara

Coronel Mello Araújo, da Ceagesp, fala sobre momento desesperador com novo lockdown em Araraquara: fome, desespero e morador comendo gato de estimação do vizinho. Assista a entrevista e ouça o relato.

Classificação: 0 / 5. Votos: 0.

Coronel Mello Araújo, da Ceagesp, fala sobre momento desesperador com novo lockdown em Araraquara

Em entrevista cedida aOs Pingos nos Is ontem (21/06/2021), o Coronel Ricardo Mello Araújo, presidente da Ceagesp, fala sobre momento desesperador com novo lockdown em Araraquara sob mando do petista Edinho Silva.

Segundo o coronel e o relato que trouxe ao programa, a mais nova tirania do prefeito desta cidade do interior de São Paulo está impondo fome, abuso de direitos humanos fundamentais e desespero, o que inclui mas não se limita a morador comendo gato de estimação do vizinho por falta de alimentos.

Ainda de acordo com Araújo, desde o início da pandemia o presidente Jair Bolsonaro exigiu que os alimentos da Ceagesp chegassem à população mais carente independentemente do partido dos prefeitos.

Entretanto, o militar afirmou que existe uma série de vídeos enviados por moradores que narram estar passando fome fizeram com que membros do centro decidissem ir até a região para distribuir mantimentos com a ajuda de mais de 200 voluntários, garantindo que foram “com 100 toneladas de alimento para aquela população. Estivemos lá em maio e fizemos a doação. Teve vários empecilhos. Foi a única cidade que nós fomos que não tivemos apoio da prefeitura. Ou seja, arrumamos voluntários para fazer essa distribuição, fomos com o Exército Brasileiro fazer essa distribuição de alimentos. O prefeito colocou alguns empecilhos, falou que a gente não ia entrar pela rua principal, porque iria chamar atenção, falou para entrarmos por outro caminho”.

Araújo também disse que a situação vista “lá realmente era um pós-guerra. Nenhuma das outras cidades que eu vi a situação era tão crítica como essa, as pessoas fuçando o lixo. O prefeito realmente deixou eles em uma situação triste de ver”. Segundo o coronel, o lockdown mais novo, iniciado neste domingo, 20, incluiu o fechamento dos entrepostos da Ceagesp na região, algo que não tinha ocorrido no mês de março.

O coronel instruiu a população a buscar os direitos junto à justiça, indicando que o “caminho legal é as pessoas fazerem boletim de ocorrência, irem ao Ministério Público, cobrarem de seus vereadores para a cidade voltar a funcionar. O que está acontecendo lá é um crime contra a humanidade”, complementando que o prefeito do município “se sente o dono da cidade. Ele deixar a pessoa morrer de fome na casa, dentro da sua casa? Isso é uma ação contra a humanidade. A cidade fica condenada a ficar presa dentro da sua casa”.

Araújo garantiu que o Ceagesp entrou com um mandado de segurança na Justiça, abriu o Ceasa local contrariando o decreto municipal e agora o prefeitinho petistinha tem um prazo de 24 horas para se posicionar sobre o assunto, afirmando que está aguardando a tiranete em questão “se manifestar porque é um absurdo. O Ceagesp, o Ceasa lá nós atendemos 1,5 mil municípios. Como é que a pessoa que vai sair lá de Mato Grosso, de outro Estado, com um caminhão até chegar vai entender que lá não pode entregar alimentos? O que vai acontecer? Vai ter desperdício de alimentos”. Ele também considera essa medida uma retaliação à doação de alimentos que o órgão fez no primeiro lockdown.

A entrevista contou com apresentação do Vítor Brown e perguntas de Guilherme Fiuza, Ana Paula Henkel, José Maria Trindade e Augusto Nunes.

Veja também

Adicionado em: 22 de junho de 2021

Visualizações: 15

Duração: 17:38

Categorias: Entrevistas

Marcadores: ,

Canal: Jovem Pan

Publicado por: Equipe Direita Realista


Link:

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados