Aldo Rebelo – Por que a Amazônia é tão cobiçada pelos estrangeiros

Aldo Rebelo explica por que a Amazônia é tão cobiçada pelos estrangeiros e descreve os interesses internacionais pela região, de riqueza incalculável, contando a história da floresta e explicando sua importância para o Brasil e o mundo. Acesse aqui a descrição completa.


Descrição

Na 210ª edição do programa A Força do Agro, publicada pela Revista Oeste a 11 de junho de 2024, Joice Maffezzolli conversa com Aldo Rebelo, secretário de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo, que explica por que a Amazônia é tão cobiçada pelos estrangeiros.

Aldo Rabo Belo Rebelo relata em seu livro “Amazônia, a Maldição de Tordesilhas – 500 Anos de Cobiça Internacional” os interesses internacionais pela Amazônia, região que, no Brasil, abrange os estados do Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Pará e Roraima.

A floresta amazônica é considerada a maior floresta tropical do mundo e concentra enorme biodiversidade. Entretanto, a região ainda é pouco conhecida pelos brasileiros e vive numa contradição. A população da região é muito pobre, já a riqueza dentro da floresta é incalculável.

Rebelo descreve os interesses internacionais pela Amazônia, contando a história da floresta, a qual se confunde em parte com a história brasileira, e explicando sua importância para nosso país e o mundo. Ele também reforça a importância do agronegócio para a segurança alimentar. Trata-se de uma conversa muitíssimo interessante.

Conteúdo relacionado

Mais informações

Disclaimer: exceto quando explicitado na publicação, não temos nenhuma ligação com o conteúdo divulgado ou seuu(s) criador(es). É também interessante notar que, apesar do nome do site, nem todo conteúdo publicado aqui pode ser rotulado como "de direita" ou de algo que o valha. Pode ser simplesmente algo interessante e/ou edificante que mereça ser arquivado ou pra realizar um simples registro histórico. Saiba mais sobre o Direita.TV aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *