Criança de oito anos recebe lavagem cerebral como dever de casa

Esta é a tradução do artigo “Criança de oito anos recebe lavagem cerebral como dever de casa” (“8-year-old brings home brainwashing assignment”) escrito pelo Tom Woods. É um texto bem curto, mas mostra como as escolas estão empenhadas doutrinar as crianças e que os direitos naturais de todo ser humano não são concessões do estado, mas existem mesmo que este não os liste formalmente ou se recuse a garanti-los.

Embora isto tenha acontecido numa escola pública americana, há vários relatos de casos semelhantes de doutrinação ou engenharia social acontecendo aqui, no Brasil, inclusive em instituições particulares e não se limitando apenas ao estatismo puro e simples, mas também ideologia de gênero e outros assuntos inadequados para se tratar com jovens crianças. É, também, muito comum por aqui, a mentalidade legalista e de outros estatistas de que os direitos do indivíduo só existem enquanto explícitos na Constituição ou em forma de alguma lei estatal.


Criança de oito anos recebe lavagem cerebral como dever de casa

Uma criança da terceira série na Georgia (um estado dos EUA) recentemente chegou em casa com um dever de casa chamado “Sendo um Bom Cidadão,” de Phyllis Naegeli.

Você vai gostar desta.

“Direitos são privilégios especiais que o governo te dá,” a tarefa explica.

Bem o contrário do que o que a Declaração de Independência diz, ou a visão de John Locke de que os direitos antecedem o governo.

Nos Estados Unidos, nos aprendemos, foi dado a nós o “direito de escolher uma religião.”

“A Carta dos Direitos [1] lista as liberdades dadas aos cidadãos.”

E por aí vai.

A Nona Emenda [2] (sou eu falando agora, e não este panfleto de propaganda política) deixa claro que, visto que é impossível listar todos as liberdades que as pessoas tem, seria errado acreditar que as pessoas só tem os direitos listados na Carta de Direitos.

De outra forma, as pessoas não teriam o direito de formar famílias ou aceitarem empregos, visto que o governo não menciona expressamente (ou, na formulação de Phyllis Naegeli, “nos dá”) tais direitos.

Enfim, a realidade é o oposto do que a propaganda de escola pública que esta pobre criança recebeu.

Saiba mais

  1. A Carta dos Direitos dos Estados Unidos é a famosa Bill of Rights americana. É o nome pelo qual as dez primeiras emendas à Constituição dos Estados Unidos são conhecidas.
  2. “A enumeração de certos direitos na Constituição não poderá ser interpretada como negando ou coibindo outros direitos inerentes ao povo.” (Artigo IX da Carta dos Direitos americana).
  3. Site oficial do Movimento Escola Sem Partido, onde você pode obter mais informações de como a doutrinação acontece nas escolas e o que você pode fazer para evitá-la.
  4. Doutrinação escolar e Ideologia de Gênero – Do canal Pizzaria Brasil.
  5. Luiz Felipe Pondé dá sua opinião sobre ideologia de gênero.
  6. Defendendo o seu filho da Ideologia de Gênero – Hangout onde uma mãe relata um caso que aconteceu com o seu filho e que sugere procedimentos para os pais evitarem tais coisas.
  7. Olavo de Carvalho – Ideologia de Gênero e Engenharia Social – O filósofo fala brevemente sobre a Teoria de Gênero como construção social e o seu papel dentro do movimento revolucionário.
  8. Pe. José Eduardo – Ideologia de Gênero – Uma aula em forma de hangout sobre Ideologia de Gênero e o que está por trás dela, ministrada pelo Padre José Eduardo.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!