Jovem que teria sido agredida e marcada com suástica será indiciada por falso testemunho

Jovem que teria sido agredida e marcada com suástica no Rio Grande do Sul será indiciada por falso testemunho. A suposta vítima teria sido atacada por “nazistas eleitores do Bolsonaro”, ou algo assim, que marcaram em sua barriga o símbolo com um canivete por ter adesivos LGBT em sua mochila. Ela já havia desistido de fazer representação criminal contra os tais agressores, alegando motivos emocionais.

De acordo com a Polícia, existem indícios que as lesões foram feitas por ela própria ou de forma consentida, podendo “se afirmar com convicção que as lesões produzidas na vítima não são compatíveis com as que seriam esperadas, na hipótese de ter havido efetiva resistência da parte dela à ação de um agente agressor”, segundo laudo. O exame de corpo de delito também revelou que não encontraram “lesões na face ou nas mãos e nos antebraços que sejam características de autodefesa”.

Foram investigadas também câmeras de segurança e testemunhas da região onde teria ocorrido o tal crime, mas “em nenhuma dessas câmeras aparece qualquer tipo de agressão e muito menos a possível vítima. Nenhuma pessoa com quem falamos viu qualquer situação diferenciada”, disse o delegado Paulo Sérgio Jardim, responsável pelo caso.

Fonte: Estadão.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!