PT usava fundos de pensão para financiar seu projeto de poder

O mesmo partido que critica a Reforma da Previdência, o PT, usava fundos de pensão para financiar seu projeto de poder já em 2016.

Como afirma esta matéria do UOL, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, seria o operador do esquema e com fortes indícios de coordenar o tráfico de influência entre os fundos. Ele foi investigado na operação Greenfield da Polícia Federal que apura fraudes fundos de pensão desde setembro de 2016. Numa das denúncias do esquema de corrupção enviadas à Justiça Federal, 14 investigados se tornaram réus, incluindo Vaccari.

Para se ter uma ideia do patrimônio envolvido, apenas os quatro fundos objetos de investigação somam R$ 350 bilhões em investimentos: Postalis (Correios), Petros (Petrobras), Funcef (Caixa) e Previ (Banco do Brasil) representavam quase 1 milhão de famílias e somavam um déficit da marca de R$ 30 bilhões. Ainda de acordo com a matéria, este déficit bilionário é fruto de riscos do mercado, mas em sua grande parte também da má gestão e fraudes: estavam roubando dinheiro dos aposentados. É crível afirmar que os fundos de pensão fizeram parte da máquina de corrupção para financiar o projeto de poder do governo do PT. Três dos quatro presidentes dos fundos são filiados ao partido do governo, o que facilita a inserção dos operadores no meio dos negócios bilionários.

O ex-tesoureiro do PT já foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em 2015, na décima fase da Lava Jato, com pena de 15 anos e 4 meses de reclusão.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!