Iludir era o meu trabalho (Vídeo)

O ex-expião da KGB Yuri Bezmenov conta como os comunistas usaram de propaganda contra seus próprios cidadãos, como promoveu conteúdo subversivo, como escondiam escravos dos estrangeiros e mais. Acesse aqui a descrição completa.


Descrição

Iludir era o meu trabalho (Deception was my job) é o título de uma famosa entrevista que Yuri Bezmenov cedeu a G. Edward Griffin, em 1984, em seu formato completo e legendado, onde o ex-espião da KGB conta como os comunistas usaram de propaganda contra seus próprios cidadãos, como enganou jornalistas americanos a publicar conteúdo subversivo, como trabalhadores escravos estavam escondidos dos visitantes estrangeiros e como escapou para a oeste.

Yuri Alexandrovitch Bezmenov (1939 – 1993) era filho de um oficial de alta patente Soviética e um membro do braço de propaganda elite da KGB, a Agência de Imprensa Novasti. Ele participou muito do que é chamado de subversão ideológica nos países alvos da URSS, como acompanhar os jornalistas em visitas à União Soviética para se certificar que não se descubra a verdade sobre como era a vida lá.

Quando foi designado para ir para a Índia, e tendo conhecimento de uma outra cultura, ele se desiludiu com o comunismo e desertou, fugindo para o Canadá.

Yuri conta como os comunistas usaram a propaganda contra seus próprios cidadãos, como ele enganou jornalistas americanos em publicar propaganda soviética, como trabalhadores escravos estavam escondidos dos visitantes estrangeiros e como escapou para a oeste, correndo grande perigo de vida.

O vídeo inclui muitas fotografias trazidas com ele em microfilme, no momento da sua fuga.

Em sua famosa palestra, Subversão Ideológica nos Países Alvos da URSS, Bezmenov também detalha como eram suas missões de espionagem, geralmente ligadas à guerra cultural e controle da imprensa soviética.

Conteúdo relacionado

Mais informações

Disclaimer: exceto quando explicitado na publicação, não temos nenhuma ligação com o conteúdo divulgado ou seuu(s) criador(es). É também interessante notar que, apesar do nome do site, nem todo conteúdo publicado aqui pode ser rotulado como "de direita" ou de algo que o valha. Pode ser simplesmente algo interessante e/ou edificante que mereça ser arquivado ou pra realizar um simples registro histórico. Saiba mais sobre o Direita.TV aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *