O poder do contrabando

Publicado estritamente para fazer um registro histórico dos acontecimentos, este vídeo do ANCAPSU fala sobre como o regime comunista da Romênia foi abalado pelo poder do contrabando. Clique aqui para a descrição completa.


Descrição

Publicado estritamente para fazer um registro histórico dos acontecimentos, este vídeo do canal Visão Libertária, da rede ANCAP.SU, fala sobre o poder do contrabando, usando como exemplo como o regime comunista da Romênia foi abalado pelo cinema americano.

Para um regime comunista prevalecer e ter longevidade, o controle da informação é essencial, sobretudo do que acontece fora da cortina de ferro. Toda a imprensa é controlada e a cúpula de parasitas constantemente ameaça quem violar qualquer tipo de regra para manter o medo na população. Mas se as pessoas perceberem que nas sociedades nas quais o mercado capitalista é permitido, conseguem aumentar seu padrão de vida e prosperar, então o comunismo perde todo seu apoio.

O documentário Chuck Norris vs Comunismo retrata a década de 1980 na Romênia, quando a TV estatal do governo escondia dos cidadãos as inovações que aconteciam no Ocidente. Para aquele povo empobrecido devido ao planejamento central se contentar com pouco, proibia-se todo tipo de mensagem consumista, que mostravam banquetes fartos ou até mensagens religiosas. Nada disso diferiu do que ocorreu durante décadas na União Soviética e nos outros países comunistas como na China e no Camboja.

Apesar da pobreza cultural na Romênia e falta de bons filmes, um homem entrevistado lembra terem uma grande vontade em ter acesso ao cinema, e as fitas VHS mudaram tudo. Outro senhor revela como ter acesso a esses filmes foi algo incrível. Burlar as imposições do governo comunista e realizar algo não-comunista foi inédito e atraente. Como a população romena não entendia o inglês, os filmes eram sempre dublados pela mesma voz. A dubladora era Irina Nistor. Por isso, depois do ditador, Irina teria a voz mais conhecida no país sem ninguém saber quem ela era.

Os romenos viviam numa realidade de pobreza como todos os países satélites da URSS. Foi implementado por lá o famoso igualitarismo que a esquerda defende, no qual ninguém pode enriquecer, somente a elite política, já que Nicolae e sua esposam ficaram milionários e viviam no luxo. Era o mercado clandestino que tentava trazer alguma dignidade àquele povo.

Os romenos adoravam os filmes de ação de Chuck Norris, Van Damme e Stallone, e aprendiam a lição da história quando o herói combatia o mal e vencia. Chuck Norris também ensinava importantes lições ao arriscar sua própria pele para salvar seus amigos. Asta parte da cultura ocidental, expressa nestas obras, passaram a influenciar os romenos. Desde as roupas, atitudes e gestos dos personagens dos filmes.

O belo trabalho que a dubladora Irina Nistor fez foi uma ótima forma de resistência cultural à opressão do regime de Nicolae, e ao governo central de Moscou. Devido à popularidade de sua voz, ela foi apelidada de “a voz da Revolução Romena”, e foi graças a seu trabalho que esta sociedade conseguiu entender a mensagem dos diversos filmes que mudaram suas vidas. Também, se não fosse o contrabando e as fitas VHS pirateadas, não seria possível essa espécie de conflito cultural que fez os romanos questionarem o regime sob o qual viviam.

De acordo com o exposto neste vídeo e no documentário, pode-se dizer que este fenômeno cultural foi um dos responsáveis pelo fim das duas décadas de ditadura de Nicolae. Em 1989, ele e sua esposa foram capturados, julgados e executados.

Conteúdo relacionado

Mais informações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *