Estudo do MIT encontra mais ciência entre “negacionistas” do que entre “especialistas”

Estudo do MIT encontra mais ciência entre ‘negacionistas’ do que entre os ‘especialistas’, aqueles que sempre aparecem em alguma matéria da grande mídia pra justificar alguma posição estapafúrdia. Peter comenta.

Classificação: 5 / 5. Votos: 1.

Estudo do MIT encontra mais ciência entre “negacionistas” do que entre “especialistas”

Estudo conduzido pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) encontra mais ciência entre os chamados “negacionistas” do que entre os “especialistas”, aqueles que sempre aparecem em alguma matéria da grande mídia pra tentar justificar alguma posição estapafúrdia.

O estudo, Viral Visualizations: How Coronavirus Skeptics Use Orthodox Data Practices to Promote Unorthodox Science Online (algo como “Visualizações Virais: Como Negacionistas Usam Práticas Ortodoxas De Dados Para Promover Ciência Não Ortodoxa Online”), visava descobrir porque existem tantos “negacionistas” da pandemia, mas acaba concluindo que a ciência é usada pelos “céticos da Peste Chinesa” de uma forma mais sólida do que quando é passada por meios de comunicação e institutos oficiais.

Neste vídeo, o Peter, do ANCAPSU, comenta os pontos chaves do estudo e afirma que ciência é um processo, não uma instituição. Ele também fala que os cientistas do MIT infiltraram-se nos chamados grupos de “negacionistas” achando que, nestes meios, se debatia maluquices tipo terraplanismo, mas concluíram que não era nem de perto isso.

Últimas notícias

Adicionado em: 12 de maio de 2021

Visualizações: 65

Duração: 11:23

Categorias: Comentários, Músicas

Marcadores:

Canal: ANCAP.SU

Publicado por: Equipe Direita Realista


Link:

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados