Padre José Eduardo – Escola de Matrimônio

Aula da Escola de Matrimônio ministrada pelo Padre José Eduardo a partir do entendimento de família como avivamento. Este conteúdo não é apenas rico como trará luz sobre a vida matrimonial de muitas pessoas. Clique aqui para a descrição completa.


Descrição

Este vídeo que entrou ao ar ao vivo originalmente ao dia 11 de abril de 2022 é uma aula da Escola de Matrimônio ministrada pelo Padre José Eduardo a partir do entendimento de família como avivamento e resgatando o conceito da mesma como célula mater da sociedade.

Não fica muito claro exatamente o que é a Escola de Matrimônio, que parece ser parte de um projeto do qual o sujeito que participou da live com o padre, de quem também não dá pra saber o nome direito, mas mas temos certeza de que este conteúdo não é apenas rico como trará luz sobre a vida matrimonial de muitas pessoas.

Para enriquecer mais ainda, trouxemos o que escreveu o Padre José Eduardo no seu Telegram em 15 de abril de 2022:

“O matrimônio só pode trazer felicidade a um cristão se não for um fim em si mesmo, ou seja, se os cônjuges se entregarem um ao outro com a consciência de se deverem ajudar sobrenaturalmente na busca da união com Deus, santificando as cruzes da vida conjugal pela renúncia da própria vontade e abraçando uma existência abnegada, desprendida, austera, amarrada ao sacrifício do calvário.

É difícil encontrar alguém com tais ideais. São Paulo adverte aos cristãos que não se liguem a um jugo desigual. Caso contrário, o casamento é apenas uma ilusão humana e a pessoa que o escolheu seguirá a vida perseguindo uma miragem, a utopia de uma felicidade que não existe, romantismo ingênuo e próprio de almas pueris, o retrocesso do sobrenatural a um limite tão somente humano e natural.

O celibato, ao contrário do que parece, não é um caminho de solidão e amargura, alternativa para quem não encontrou ninguém, mas é resultado de ter sido encontrado por um amor tão grande que não admite entregas parciais e que desmistifica tudo que é terreno: é preciso gastar a existência para a verdade e o amor, o tempo é curto e é preciso priorizar o que é prioritário, Deus e as almas. Se, sem a contemplação, o celibato é apenas solteirice egoísta, sem ela, o matrimônio é tão somente uma pegadinha.”

Conteúdo relacionado

Mais informações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *