Memória de São Boaventura, Bispo e Doutor da Igreja

Homilia do Pe. Paulo Ricardo em memória de São Boaventura, bispo, teólogo de primeira grandeza, místico de inalcançáveis alturas e, além de tudo isso, Doutor da Igreja. Clique aqui para a descrição completa.


Descrição

Em sua Homilia Diária de número 1526, o Padre Paulo Ricardo celebra a memória de São Boaventura, bispo, teólogo de primeira grandeza, místico de inalcançáveis alturas e, além de tudo isso, Doutor da Igreja.

São Boaventura, chamado, com razão, o “segundo fundador da Ordem” dos Frades Menores, transformou a tradição franciscana em uma escola intelectual. Faleceu em 1274, durante o Concílio de Lyon, que tratou sobre a unidade dos cristãos, e canonizado em 1482.

Ele, com sua vida e doutrina, ensina os fiéis de todos os tempos a amar profundamente a Jesus Cristo, a quem nos tornaremos tanto mais semelhantes quanto mais nos unirmos a Ele pelo amor e nos apartarmos das criaturas pela penitência, elevando pouco a pouco a nossa mente aos cumes da união com Deus por meio de seu Filho encarnado.

Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para o dia 15 de julho de 2020, mas perfeitamente válida para hoje e sempre, e recorramos à intercessão de São Boaventura, para que ele nos consiga de Deus a graça de uma caridade ardente, verdadeiramente seráfica!

Como a bem-aventurança não é outra coisa que a fruição do Sumo Bem, e dado que o Sumo Bem está acima de nós, ninguém pode tornar-se bem-aventurado se não se elevar acima de si mesmo, não por ascenso corporal, mas do coração” (Itinerarium I, 1).

São Boaventura, Bispo, Confessor e Doutor da Igreja (+ Lyon, França, 1274)

Conta-se que, quando chegaram os emissários do Papa Gregório X para entregar o chapéu de cardeal a Frei Boaventura, superior geral da Ordem franciscana e mestre respeitado em toda a Europa, o encontraram na cozinha do seu convento, despretensiosamente ocupado em lavar louça.

Italiano de origem, São Boaventura ingressou aos 17 anos na Ordem franciscana. Foi uma das mais poderosas inteligências de seu tempo e de toda a História da Igreja. Discípulo de Alexandre de Hales, era amigo e companheiro de lutas do dominicano Santo Tomás de Aquino. Tiveram ambos carreiras paralelas, juntos combateram os erros de doutores de Paris inimigos das Ordens mendicantes e faleceram ambos ainda relativamente jovens, no mesmo ano.

São Boaventura teve, diferentemente de Santo Tomás, uma vida muito ativa que não lhe permitiu dedicar todo o seu tempo ao estudo. Além de superior geral de sua Ordem, foi bispo e cardeal. É cognominado o “Doutor Seráfico”.

Mais

Mais informações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *