Mortes por Peste Chinesa chegam a zero na Suécia

Enquanto parasitas de outras nações estão doidos para mais lockdowns, as mortes por Peste Chinesa chegam a zero na Suécia. Seria por isso que quase não se fala mais sobre este país nas notícias hoje em dia?

Publicado em 23 de julho de 2021, às 16:48, por: Equipe Direita Realista.

Enquanto parasitas de outras nações estão doidos para mais lockdowns, na última semana, as mortes por Peste Chinesa chegam a zero na Suécia.

Segundo a Foundation for Economic Education, mais de 100.000 pessoas inundaram as ruas da França no fim de semana, e vários centros de vacinação contra o vírus chinês foram vandalizados conforme a oposição crescia contra a estratégia de pandemia mais recente do governo de Emmanuel Lacron Macron: decretou-se que indivíduos não vacinados não terão mais permissão para entrar em cafés, restaurantes, teatros, transporte público e muito mais. Ou seja, uma maluquice ditatorial que parece até um prelúdio da marca da Besta descrita no Apocalipse.

A abordagem da França é única, mas é apenas um dos muitos países ao redor do mundo que impõe novas restrições à medida que crescem os temores sobre uma nova variante do vírus da China. As restrições recentes da Austrália colocaram metade do país sob estrito lockdown, embora um recorde de 82.000 testes tenha identificado apenas 111 novos casos de coronavírus e enquanto os restaurantes em Portugal estão lutando para sobreviver em meio a restrições recentemente impostas.

Um país, entretanto, não está saindo muito nas notícias hoje em dia. A Suécia. Será por que?

Em 2020, este país foi caluniado por abrir mão de lockdowns rígidos. O Guardian chamou sua abordagem de “uma catástrofe” em formação, enquanto a CBS News disse que a Suécia se tornou “um exemplo de como não lidar com o COVID-19”.

Apesar dessas críticas, a abordagem laissez-faire da Suécia para a pandemia continua até hoje. Em contraste com seus vizinhos europeus, a Suécia está recebendo turistas, empresas e escolas estão abertas quase sem restrições e, no que diz respeito às máscaras, além de não haver obrigatoriedade, as autoridades de saúde suecas nem mesmo as recomendam.

Mas quais são os resultados da tão ridicularizada política sueca? Os dados mostram que a média móvel de 7 dias para mortes de Peste Chinesa no dia 21 de julho de 2021 foi zero (veja abaixo) e, ainda de acordo com a fonte, está zerado há cerca de uma semana:

Mesmo um ano atrás, estava claro que as afirmações hiperbólicas sobre “a catástrofe sueca” eram falsas. Mas, um ano depois, são esmagadoras as evidências de que a Suécia entendeu a pandemia de maneira geral. A taxa de mortalidade geral da Suécia em 2020 foi inferior à da maioria da Europa e sua economia sofreu muito menos. Enquanto isso, hoje a Suécia é mais livre e saudável do que praticamente qualquer outro país da Europa.

Enquanto grande parte do mundo continua dominado pelo medo e as nações elaboram novas restrições para restringir as liberdades básicas, a Suécia continua sendo um lembrete vital e brilhante de que existe um caminho melhor.

Saiba mais: Sem lockdown, Suécia tem menor taxa de mortes por peste da Europa em 2020.

Abaixo, um vídeo não relacionado:

Últimas notícias



Este post está arquivado em: Notícias

Marcadores: ,

Publicado por: Equipe Direita Realista

Classificação: 0 / 5. Votos: 0.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!