Roger Waters: o muro ainda não caiu

Vaiado depois de exibir #elenão em telão de show na noite desta terça-feira (9) em São Paulo, Roger Waters mostra que o muro ideológico ainda não caiu.

Diante de uma plateia de aproximadamente 45 mil pessoas, o ex-integrante da banda Pink Floyd resolveu chamar o candidato à Presidência da República em 2018, Jair Bolsonaro, de fascista, o que despertou a reação do público na sequência e gerou animosidade.

“Vocês têm uma eleição muito importante daqui a três semanas. Sei que isso não é da minha conta, mas devemos sempre combater o fascismo. Não dá para ser conduzido por alguém que acredita que uma ditadura militar pode ser uma coisa boa”, disse o músico.

O show marcou o início da turnê “Us + Them” no Brasil e apenas no bis que o britânico conseguiu confraternização momentânea entre simpatizantes de Jair Bolsonaro e petistas.

Abaixo, temos parte da vaia que Roger Waters recebeu em São Paulo ontem e gritos de apoio ao candidato do PSL:

Veja também

  • Danilo Gentili entrevista Lobão no The Noite [08/08/17] – O cantor falou sobre o lançamento de seu livro “Guia Politicamente Incorreto dos anos 80 pelo rock” e também criticou o cenário musical do Brasil, frisando as consequências nefastas de medidas estatais como a Lei Rouanet sobre a cultura do país.
  • Capilé e Fora do Eixo – Lobão e Flavio Morgenstern.
  • A real sobre a cultura pop – Paul Joseph Watson dá a real sobre o atual estado da cultura popular, discorrendo sobre as influências disto diante do comportamento e desenvolvimento social que estamos presenciando.
  • A verdade sobre a música pop – Paul Joseph Watson, do Info Wars, comenta e mete a Real sobre a música pop.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!