Estudo não encontra evidência que o fique em casa reduziu mortes

Estudo recente publicado na Nature não encontra evidências de que o ‘fique em casa’ reduziu mortes causadas pela Peste Chinesa, indicando que este tipo de política é baseado num caso de falácia de exceção.

Publicado em 9 de março de 2021, às 14:54, por: Equipe Direita Realista.

Estudo recente publicado na Nature não encontra evidências de que o “fique em casa” reduziu mortes causadas pela Peste Chinesa, indicando que este tipo de política é baseado num caso de falácia de exceção.

O estudo, intitulado “Stay-at-home policy is a case of exception fallacy: an internet-based ecological study” foi publicado na revista científica ao dia 5 de março de 2021 e foi conduzido por R. F. Savaris, G. Pumi, J. Dalzochio e R. Kunst.

Dentre as conclusões, podemos ressaltar que “usando dados atuais, aproximadamente 98% das comparações usando 87 regiões diferentes do mundo, não encontramos evidências de que o número de mortes por milhão é reduzido por ficar em casa”.

Pra quem não conhece, a Nature é uma revista internacional semanal que publica as melhores pesquisas revisadas por pares em todos os campos da ciência e tecnologia com base em sua originalidade, importância, interesse interdisciplinar, oportunidade, acessibilidade, elegância e conclusões.

Mais informações aqui.

Mais sobre lockdown



Este post está arquivado em: Notícias

Marcadores: , ,

Publicado por: Equipe Direita Realista

Classificação: 0 / 5. Votos: 0.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!