Twitter afirma ao TSE que Bolsonaro e PSL não pagaram para impulsionar conteúdo

Twitter afirma ao TSE que Jair Bolsonaro e PSL não pagaram para impulsionar conteúdo nesta rede social, em um oficio encaminhado ao Tribunal Superior Eleitoral.

Segundo O Antagonista, a resposta foi dada a Luís Roberto Barroso, relator no TSE da prestação de contas da campanha de Bolsonaro. Este sujeito também determinou que WhatsApp, Facebook, Twitter, Instagram e Google respondessem se houve contratação de disparos em massa a favor do candidato durante as eleições, seja por ele ou por qualquer outra pessoa.

De acordo com o Twitter, “as contas verificadas do candidato Jair Messias Bolsonaro e do partido político Partido Social Liberal (PSL) [@jairbolsonaro e @psl_nacional] não contrataram impulsionamento de qualquer conteúdo, seja este eleitoral ou não”. Esta constatação, feita depois de uma averiguação interna, contraria narrativas usadas por petistas e outros tipos de militantes anti-bolsonaro.

O WhatsApp também confirmou que não foi contratado por Bolsonaro nem por sua campanha.

Veja também

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!