Estudo indica que hidroxicloroquina pode aumentar taxa de sobrevivência à Peste Chinesa em 200%

Estudo científico recente conduzido em New Jersey e publicado no medRxiv indica que a hidroxicloroquina em combinação com zinco pode aumentar a taxa de sobrevivência à Peste Chinesa em 200%.

Publicado em 16 de junho de 2021, às 12:45, por: Equipe Direita Realista.

Estudo recente indica que hidroxicloroquina, uma forma refinada e menos tóxica que a cloroquina, pode aumentar a taxa de sobrevivência à Peste Chinesa em 200%.

Tanto Bolsonaro quanto Trump foram ridicularizados por sugerir a substância como potencial tratamento contra a doença, porém a verdadeira ciência acerca desta questão sugere que isso pode ter sido leviano.

Enfim, o estudo científico conduzido pelo Saint Barnabas Medical Center (New Jersey) em 255 pacientes e foi publicado no medRxiv em 31 de maio. Intitulado “Observational Study on 255 Mechanically Ventilated Covid Patients at the Beginning of the USA Pandemic”, descobriu que o medicamento antimalárico hidroxicloroquina, junto com o zinco, pode aumentar a taxa de sobrevivência ao coronavírus em até quase 200%, se distribuído em doses mais altas para pacientes ventilados com uma versão grave da doença.

“Descobrimos que quando as doses cumulativas de dois medicamentos, HCQ e AZM, estavam acima de um determinado nível, os pacientes tinham uma taxa de sobrevivência de 2,9 vezes a dos outros pacientes”, afirma a conclusão do estudo, que ainda precisa ser revisado por pares.

Fontes e mais informações: Yahoo!, Washington Examiner e The Sun.

Veja também

Todos os posts relacionados a Cloroquina, Tratamento Precoce:

Este post está arquivado em: Notícias

Marcadores: ,

Publicado por: Equipe Direita Realista

Classificação: 0 / 5. Votos: 0.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados

Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos assinantes!