Brasil Paralelo – Análise de O Silêncio dos Inocentes

Análise do Brasil Paralelo da simbologia de O Silêncio dos Inocentes (1991) e deste filme em si, uma das obras mais icônicas categorizadas como thriller psicológico, terror e suspense policial, além de um estrondoso sucesso. Clique aqui para a descrição completa.


Descrição

Este interessante vídeo do Brasil Paralelo faz uma análise da simbologia de O Silêncio dos Inocentes (The Silence of the Lambs) e deste filme em si, uma das obras mais icônicas que podem ser categorizadas como thriller psicológico, terror e suspense policial.

O Silêncio dos Inocentes é um filme americano de suspense e terror psicológico de 1991, dirigido por Jonathan Demme e escrito por Ted Tally, e também uma adaptação do romance homônimo de Thomas Harris de 1988. É estrelado por Jodie Foster como Clarice Starling, uma jovem estagiária do FBI que está caçando um serial killer chamado “Buffalo Bill” (Ted Levine), que esfola suas vítimas femininas. Para pegá-lo, ela busca o conselho Dr. Hannibal Lecter (Anthony Hopkins), um psiquiatra brilhante e assassino em série canibal que encontra-se preso. O filme também apresenta performances de Scott Glenn, Anthony Heald e Kasi Lemmons. Foi um estrondoso sucesso de bilheteria e crítica que deu início a uma franquia que que já rendeu pelo menos três filmes e duas séries televisivas.

Vídeo da BP comenta as cenas protagonizadas por Anthony Hopkins e Jodie Foster, que se tornam marcantes não apenas na mente de quem assiste, como também marcaram a história: este foi um dos poucos vencedores de todas as 5 principais categorias do Oscar, bem como um dos raros filmes de terror que foram capazes de conquistar o prêmio cinematográfico. Mas como a história de um assassino canibal em série e uma estagiária do FBI conseguiu alcançar — merecidamente — tamanho sucesso?

Victor Lucius, editor-chefe do Portal da BP e bacharel em Filosofia pela UFMG, comenta os símbolos e significados de diversos elementos do filme. Para ele:

“Esse filme não é somente um suspense, não é somente uma investigação policial, não é somente um thriller psicológico. O filme tem uma riqueza que consegue atingir a universalidade da natureza humana, justamente por causa da abrangência do seu próprio tema”.

A análise teve por base o livro Dialética e Simbolismo de Olavo de Carvalho, que dedicou mais de 100 páginas para estudar O Silêncio dos Inocentes. Segundo Olavo:

“Como toda grande arte, este filme desencadeia consequências que se prolongam para muito além do gozo estético imediato, e reverberam em benefícios psicológicos de longa duração. 

Nunca, desde ‘M, o Vampiro de Düsseldorf’, de Fritz Lang, ou ‘Vergonha’, de Ingmar Bergman, esteve o cinema tão perto de realizar um intuito equiparável ao da tragédia grega, que, nas palavras de Aristóteles, era o de inspirar “terror e piedade”, ou, mais precisamente, a piedade por meio do terror: purificar a alma do homem e incliná-lo ao bem pela visão do absurdo e do mal inerentes à ordem cósmica”.

Victor Lucius também traz alguns elementos centrais que fazem o filme ter alcançado um nível de experiência universal humana:

“Mais do que a luta entre a polícia e o bandido, o FBI e um serial killer, O Silêncio dos Inocentes apresenta a disputa universal do ser humano e da astúcia do próprio demônio”.

Os agentes do FBI e os psiquiatras deixam claro:

“Não fale sobre sua vida pessoal para Hannibal, você não vai querer que ele entre na sua cabeça”.

As tentações de Hannibal fizeram até mesmo que um personagem se suicidasse. Para Clarice alcançar seus objetivos, ela precisa lutar contra Hannibal e contra si mesma, caso contrário, o psiquiatra canibal conseguirá usar seus maiores traumas para destruí-la – como ele já fez com outras pessoas.

Assim como Sócrates, Clarice tem que enfrentar as trevas, a mentira e a loucura sem ceder a nenhum desses elementos. Lecter tenta entrar em sua mente constantemente, de forma que apenas um grande heroísmo de Clarice fará com que ela cumpra sua missão.

Esses e outros motivos levam o filme a tocar o coração de cada espectador, como comentou o professor Olavo de Carvalho.

Victor Lucius ainda aborda diversos outros significados e símbolos de O Silêncio dos Inocentes, mas eles precisam ser analisados após assistir o filme para não revelar a história.

Isso tudo levou o filme a receber muitos dos maiores prêmios possíveis.

Sinopse

Clarice Starling (Jodie Foster), agente novata do FBI, procura por um assassino que ataca mulheres jovens e depois retira suas peles. Para construir o perfil psicológico deste psicopata, recorre à ajuda de um assassino preso que agia de forma semelhante. É o dr. Hannibal Lecter (Anthony Hopkins), um psiquiatra canibal. Lecter, de fato, pode ajudar na investigação, mas quer em troca um local mais confortável para ficar preso. E quer também se aproximar da durona Clarice, para que ela fale de seus traumas e revele seu lado vulnerável. A história mescla o horror dos crimes bárbaros com o horror psicológico que Lecter faz emergir.

Conteúdo relacionado

Mais informações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *