Estudo realizado com 223.128 pessoas indica que ivermectina reduz infecção e mortes

Estudo realizado com 223.128 pessoas e publicado ao dia 15 de janeiro de 2022 indica que a administração de ivermectina de forma profilática reduz infecção e mortes por Peste Chinesa.

Publicado em 18 de janeiro de 2022, às 11:15, por: Equipe Direita Realista.

Estudo realizado com 223.128 pessoas na cidade de Itajaí/SC, com apoio do poder público municipal e diversos pesquisadores brasileiros, e publicado ao dia 15 de janeiro de 2022 indica que a administração de ivermectina de forma profilática reduz infecção e mortes por Peste Chinesa.

O artigo, Ivermectin Prophylaxis Used for COVID-19: A Citywide, Prospective, Observational Study of 223,128 Subjects Using Propensity Score Matching, foi conduzido pelos cientistas Lucy Kerr, Flavio A. Cadegiani , Fernando Baldi, Raysildo B. Lobo, Washington Luiz O. Assagra, Fernando Carlos Proença, Pierre Kory, Jennifer A. Hibberd e Juan J. Chamie-Quintero.

Do abstrato do paper, destacamos (traduzido):

“Background: a ivermectina demonstrou diferentes mecanismos de ação que potencialmente protegem tanto da infecção da doença por coronavírus 2019 (COVID-19) quanto das comorbidades relacionadas ao COVID-19. Com base nos estudos que sugerem eficácia na profilaxia combinada com o perfil de segurança conhecido da ivermectina, um programa de prevenção em toda a cidade usando ivermectina para COVID-19 foi implementado em Itajaí, uma cidade do sul do Brasil, no estado de Santa Catarina. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto do uso regular de ivermectina nas taxas subsequentes de infecção e mortalidade por COVID-19.”

“Resultados: Dos 223.128 cidadãos de Itajaí considerados para o estudo, um total de 159.561 indivíduos foram incluídos na análise: 113.845 (71,3%) usuários regulares de ivermectina e 45.716 (23,3%) não usuários. Destes, 4.311 usuários de ivermectina foram infectados, sendo 4.197 da cidade de Itajaí (taxa de infecção de 3,7%) e 3.034 não usuários (de Itajaí) foram infectados (taxa de infecção de 6,6%), com redução de 44% na COVID -19 taxa de infecção (razão de risco [RR], 0,56; intervalo de confiança de 95% (IC 95%), 0,53-0,58; p < 0,0001). Usando o PSM, duas coortes de 3.034 indivíduos que sofrem de infecção por COVID-19 foram comparadas. O uso regular de ivermectina levou a uma redução de 68% na mortalidade por COVID-19 (25 [0,8%] versus 79 [2,6%] entre não usuários de ivermectina; RR, 0,32; IC 95%, 0,20-0,49; p < 0,0001) . Quando ajustado para variáveis ​​residuais, a redução na taxa de mortalidade foi de 70% (RR, 0,30; IC 95%, 0,19-0,46; p < 0,0001). Houve redução de 56% na taxa de internação (44 contra 99 internações entre usuários e não usuários de ivermectina, respectivamente; RR, 0,44; IC 95%, 0,31-0,63; p < 0,0001). Após ajuste para variáveis ​​residuais, a redução na taxa de hospitalização foi de 67% (RR, 0,33; IC 95%, 023-0,66; p < 0,0001).”

“Conclusão: Neste grande estudo de PSM, o uso regular de ivermectina como agente profilático foi associado a uma redução significativa nas taxas de infecção, hospitalização e mortalidade por COVID-19.”

Abaixo, segue um vídeo nosso escolhido de forma aleatória (sem relação com o assunto):

Mais



Este post está arquivado em: Notícias

Marcadores: ,

Publicado por: Equipe Direita Realista

Classificação: 0 / 5. Votos: 0.

Deixe um comentário

Alguns posts relacionados